Estreias

Este mês estreamos Locke e apresentamos-te filmes com um só protagonista

9 Fevereiro 2018

Este mês estreamos Locke no Canal Hollywood, um filme que nos leva numa viagem alucinante pela vida de um homem que é interpretado por Tom Hardy. Por isso decidimos falar-te de cinco filmes que conseguem prender-nos pela magia da atuação de uma só pessoa. Se manter a atenção do espectador já é difícil com um ensemble cast, com um único protagonista tudo fica mais difícil, mas estes cinco filmes são a prova de que pode ser feito e, quando resulta, o resultado é uma história única e hipnotizante.

Locke (2013)

Cena do filme Locke

Locke, interpretado por um Tom Hardy fenomenal, é um supervisor de obras que tem que fazer uma viagem de carro que dura uma hora e meia. O filme acompanha essa viagem de carro, uma constipação que vai piorando e muitas chamadas que vão revelando a vida do protagonista e o homem que ele é. Este é um filme que tinha tudo para correr mal, mas a forma como Steven Knight filmou o espaço exíguo do carro, a forma como Hardy vai reagindo aos telefonemas e se mostra cada vez mais desesperado dão ao filme um ritmo que ninguém podia prever. Nós por aqui previmos que se vai tornar um clássico, mas vê por ti mais logo no Canal Hollywood.

O Náufrago (2000)

Cena do filme O Naufrago

Talvez o mais conhecido de todos estes filmes, O Náufrago é o filme que tentou e conseguiu reinventar a história típica do homem-abandonado-numa-ilha. Ao contrário de Locke, onde vemos um homem a ceder sobre a pressão no espaço de uma mera hora e meia, O Náufrago acompanha Chuck Noland, um funcionário da FedEx que fica preso numa ilha depois de um desastre de avião. Absolutamente sozinho num ambiente hostil, rodeado de encomendas da FedEx por entregar e uma bola de voleibol a que chama Wilson, Chuck vai ter que enfrentar todos os seus medos. Tom Hanks faz um papel incrível e convincente, e temos de dizer que a bola de voleibol não lhe fica nada atrás.

A Vida de Pi (2012)

Cena do filme A Vida de Pi

A Vida de Pi, que arrecadou 4 Oscars em 2012, incluindo o de Melhor Realizador, conta a história de Pi Patel e a viagem insólita que fez num barco salva-vidas. Em jovem, Pi embarca numa viagem da Índia ao Canadá, onde os pais querem montar o seu circo. Uma tempestade interrompe a viagem e Pi vê-se à deriva num barco salva-vidas na companhia de um tigre chamado Richard Parker, o único animal que sobrevive ao desastre. À semelhança de O Náufrago, A Vida de Pi é um filme sobre o que fazemos quando somos levados a um extremo. Suraj Shamar tinha apenas 19 anos quando teve que interpretar Pi e fê-lo de forma extraordinária. Embora este não seja um filme que se apoia apenas na sua interpretação como acontece em Locke (Ang Lee, o realizador, é conhecido por criar cenários e situações maravilhosas), o miúdo consegue captar a atenção toda nele e no dilema pelo qual está a passar.

127 Horas (2010)

Cena do filme 217 horas

127 Horas conta-nos a história real de Aron Ralston, um aventureiro americano que ficou preso num desfiladeiro e teve que amputar o próprio braço para conseguir escapar e sobreviver. Interpretado por um James Franco que carrega o filme às costas, o filme é um prodígio de manter a nossa atenção colada ao ecrã, ainda mais tendo em conta que o faz com apenas um ator e uma localização. De alguma forma, é bastante semelhante a Locke, no sentido em que conseguimos ver o efeito que o tempo e o desespero têm no personagem. Não o recomendamos para os mais ansiosos, mas é certamente uma boa escolha para quem gosta de emoções fortes e de ver como um ator só consegue fazer um filme.

Bronson (2008)

Cena do filme Bronson

Tom Hardy gosta de papéis difíceis, e só isso é que pode justificar que apareça em dois filmes desta lista como protagonista. Embora Bronson seja seja um clássico one man show no sentido em que tem mais personagens, estas aparecem pouquíssimo e são absolutamente circunstanciais. A estrela deste filme é Hardy e que ninguém tenha dúvidas disso. Bronson é inspirado na história de Michael Paterson, aquele que é considerado o prisioneiro mais violento do Reino Unido e que, ao longo dos anos, se tornou conhecido pelo seu alter ego Charles Bronson (que já passou 30 anos na solitária). Tom Hardy, já a abrir caminho para Locke e numa interpretação completamente diferente, traz-nos um Bronson absolutamente teatral, explosivo e perigoso.

 

  • Locke / sexta 9, 22:00

Neste regresso às aulas lembra-te destes adolescentes muito fora do comum

Neste mês que assinala o regresso às aulas, nada mais apropriado do que prestar a devida homenagem aos adolescentes peculiares e respetivas vidas extraordinárias, tão típicos do grande ecrã.

9/2/2018 LER MAIS

Já viste os cinco melhores filmes de Martin Scorsese?

Martin Scorsese realiza filmes desde 1959. Fizemos as contas por ti e este bom rapaz anda há 58 anos a trabalhar por detrás da câmara.

9/2/2018 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *