Estreias

Inspira-te para um futuro grandioso com estas biopics de génios

18 Julho 2019

Imagina seres uma criança fascinada com as maravilhas do mundo, sem sequer sonhares que um dia a tua vida vai dar uma biopic. É assim que as versões em miniatura destes grandes génios da nossa história se devem ter sentido. Não imaginavam que um dia iriam fazer descobertas que mudariam a forma como vivemos e que iriam inspirar alguns dos grandes filmes dos nossos tempos. E quem sabe, depois de veres estes filmes, talvez te sintas tão inspirado que um dia acabes por deixar uma pequena grande pegada no nosso futuro. Afinal, haverá forma mais interessante e cativante de relembrar ou conhecer a vida dos grandes génios do que através de um filme? Acho que consegues adivinhar a nossa resposta… Inspira-te!

 

O Jogo da Imitação (2014)

Esta biopic, produzida como um thriller histórico, conta a história do matemático, lógico, criptoanalista e pioneiro da computação britânico, Alan Turing, uma figura chave na descodificação do código Enigma da Alemanha nazi, que ajudaria as forças Aliadas a vencerem a II Guerra Mundial. Neste filme realizado por Morten Tyldum e baseado na biografia Alan Turing: The Enigma, de Andrew Hodges, é o incrível ator Benedict Cumberbatch que dá vida ao génio. Apesar de alguns historiadores terem referido que alguns elementos do filme não batem certo com o que realmente aconteceu, nomeadamente a sua relação com a amiga e colega Joan Clarke (Keira Knightley), a história geral da vida de Turing e os seus feitos são verdadeiros. E, tal como O Jogo da Imitação nos mostra, nada pode negar que além de génio, Alan Turing foi um herói.

 

Amadeus (1984)

Fonte da imagem

“Eu sou um homem vulgar! Mas garanto-vos que a minha música não o é.” Por trás do mito do génio, esconde-se o rosto do mais famoso dos compositores, Wolfgang Amadeus Mozart. Será que conheces o jovem expressivo e excêntrico retratado por Tom Hulce no filme Amadeus de Miloš Forman? Esta biopic mostra-nos a vida, os sucessos e os desafios com que Mozart se deparou, contados por Antonio Salieri (F. Murray Abraham), o compositor contemporâneo extremamente ciumento do talento do génio e que o terá assassinado. Ao que a inveja nos leva… A vida de Mozart é, como o filme nos retrata, muito complexa e cheia de nuances, tal como a sua música. Ficaste curioso? Aproveita para ver ou rever esta longa metragem vencedora de 8 OSCARS, incluindo Melhor Filme, Melhor Ator Principal e Melhor Realizador.

 

Simplesmente Genial (1996)

Fonte da imagem

No meio da chuva, vemos um homem que parece tagarelar obsessivamente e que, estranhamente, encontra sentido em palavras que aparentemente não o têm. Este homem ri muito e parece ser muito afável. Quando se senta ao piano de um restaurante, ficamos assustados… até que começa a tocar. A sua música flui como um grito de angústia e esperança. Esta é a imagem central de Shine, de Scott Hicks, baseado na história verídica de um pianista australiano que, depois de ser um prodígio internacional, sofreu um colapso e foi recuperando gradualmente. O seu nome é David Helfgott (Geoffrey Rush) e a sua história mostra-nos como o espírito humano é capaz de lutar. Mais uma biopic, mais um génio musical, e mais um OSCAR de Melhor Ator, neste caso para Geoffrey Rush.

 

A Teoria de Tudo (2014)

Estás pronto para a biopic de uma das pessoas mais brilhantes da história do planeta, o astrofísico Stephen Hawking? Com Eddie Redmayne e Felicity Jones nos papéis principais, A Teoria de Tudo – nomeado para 5 OSCARS – conta-nos a extraordinária história de uma das maiores mentes de todos os tempos, famoso por pensar de formas ousadamente inovadoras, mesmo depois do devastador diagnóstico de esclerose lateral amiotrófica, aos 21 anos de idade. Com Jane a lutar incansavelmente ao seu lado, Stephen embarca no seu mais ambicioso trabalho científico, estudando aquilo que ele próprio parece não ter – tempo. “Não deve haver limites para o esforço humano. Somos todos diferentes. Por pior que a vida possa parecer, há sempre algo que podemos fazer e em que podemos ter sucesso. Enquanto há vida, há esperança.”

 

Pollock (2000)

Fonte da imagem

No final da década de 40, o expressionista abstrato Jackson Pollock (Ed Harris) é capa da revista Life. Flashback para 1941 e Pollock mora com o seu irmão num pequeno apartamento em Nova York, quase sempre embriagado e a mostrar ocasionalmente as suas obras em pequenas exposições. É nesta altura que conhece a artista Lee Krasner (Marcia Gay Harden), que faz uma pausa na sua carreira para se tornar a sua companheira, amante, esposa e, no fundo, cuidadora. Para afastar Pollock da bebida, da insegurança e do stresse da vida na cidade, mudam-se para os Hamptons, onde a natureza e a sobriedade ajudam Pollock a redescobrir o seu estilo. Assim, o expressionista consegue finalmente a aclamação dos críticos e chamadas da revista Life, mas, ao mesmo tempo, também os seus velhos demónios. Inspira-te artisticamente com esta biopic vendedora do OSCAR de Melhor Atriz Secundária e nomeado para o OSCAR Melhor Ator. Afinal, quem disse que era fácil ser um génio?

 

  • O Jogo da Imitação / 21 domingo, 22:00
  • A Teoria de Tudo / 25 quinta-feira, 19:30

Semana Marvel: relembra todos os teus super-heróis favoritos

Do Capitão América a Hulk, escolhemos filmes dentro e fora do Marvel Cinematic Universe (MCU) para poderes fazer uma viagem no tempo com os teus super-heróis favoritos.

18/7/2019 LER MAIS

Cannes – dos sapatos de Kristen Stewart à marcha de Cate Blanchett

Este ano Cannes comemorou 71 anos de cinema com uma passadeira vermelha onde foram proibidas as selfies e os Chewbaccas andaram a circular livremente. Vê alguns dos momentos mais importantes aqui.

18/7/2019 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *