Em Destaque

Não faças isto em casa – 5 dos filmes mais perigosos de sempre

20 Julho 2018

Fazer filmes é a arte de criar ilusões, mas nesta lista de alguns dos filmes mais perigosos que já foram feitos, a coisa ficou demasiado real, depressa demais. Por muitos efeitos especiais, motion capture ou 3D que se use, o que é certo é que nem sempre houve estes recursos e mesmo havendo, fazer algumas cenas continua a ser muito perigoso. Seja por azar, descuido ou pura estupidez, a sétima arte tem o seu grão de sal de perigo. Vê a nossa seleção mas já sabes: não faças isto em casa.

 

Ben-Hur (1959)

Cena do filme BenHur

Fonte da imagem

Pronto, pode não ser propriamente um dos filmes mais perigosos da história do cinema, mas Ben-Hur tinha de fazer parte desta lista por causa da cena da corrida de quadrigas. Na altura foi a cena mais cara de sempre (4 milhões, um quarto do orçamento estimado para a produção) e desafiou tudo o que se tinha feito até aí em efeitos especiais e cenas de ação. Com todas as condições reunidas para acabar em tragédia, o que é impressionante é que ninguém se tenha magoado a sério. A cena? Uma corrida de quadrigas em que o realizador quis mostrar aquilo que se supõe que fielmente acontecesse: quadrigas a ficarem sem rodas, cavalos a atropelarem condutores que foram catapultados, colisões violentas, choques em cadeia. Surpreendentemente, ninguém se magoou de forma grave e a única lesão que Joe Canutt, o duplo que fez a proeza, sofreu foi um corte no queixo que teve de levar quatro pontos. A proeza de ser projetado da carruagem e conseguir voltar a subir num só take foi tão bem executada e é tão impressionante, que foi deixada no corte final do filme.

 

Homens e Feras (1981)

Cena do filme Homens e Feras

Fonte da imagem

No início dos anos 70, Tippi Hedren (a atriz favorita de Hitchcock) e o marido, Noel Marshall, decidiram fazer um filme sobre uma família que é atacada por grandes felinos em África. Conhecido pela frase “Nenhum animal foi magoado a fazer este filme, mas 70 pessoas da equipa foram”, este é certamente o número 1 na lista de filmes mais perigosos. Quando perceberam que seria impossível reunir o número de animais que precisavam, Tippi e Noel compraram um rancho na Califórnia e dedicaram-se a criar felinos selvagens durante 10 anos, enquanto iam rodando o filme. Melanie Griffith foi mordida na cabeça e teve de levar mais de 50 pontos, Tippi também, o diretor de fotografia ia ficando sem escalpe e Noel contraiu gangrena por ser mordido tantas vezes, só para citarmos o essencial.

 

XXX – Missão Radical (2002)

Cartaz do filme XXX Missão Radical

Fonte da imagem

Como é óbvio, um filme cujo subtítulo é Missão Radical terá de ser um dos filmes mais perigosos a fazer, por muitos efeitos especiais e cuidados que se tenham. E foi mesmo o que aconteceu quando o duplo de Vin Diesel, Harry O’Connor, morreu a fazer uma stunt perigosíssima. Em defesa da produção, é uma stunt até bastante comum e que o duplo, especializado em cenas de para-quedas e aviões, estava habituado a fazer. Aliás, O’Connor já ia no segundo take, que de acordo com o realizador tinha ficado bom, quando decidiu repetir para ter a certeza que ficava tudo bem. A ação, que consistia em passar por uma ponte de paraquedas e à última da hora soltar os cabos para passar por baixo, correu mal e o duplo morreu instantaneamente. Ser duplo é um trabalho perigoso e é uma profissão na qual se fazem as maiores loucuras para garantir cenas de nos deixar boquiabertos. É sempre triste quando estas coisas acontecem, mas o realizador decidiu honrar o trabalho de O’Connor e deixar a stunt (no primeiro take) no corte final do filme.

 

Tróia (2004)

Cena do filme Troia

Fonte da imagem

Tróia é daqueles filmes que tiveram uma produção fundamentalmente azarada, o que acaba por fazer dele um filme perigoso por detrás das câmaras. Como já é normal, um duplo sofreu uma lesão numa perna e que acabou por morrer de embolia pulmonar, algo muito comum nestes casos. Depois, o furacão Marty adiou os tempos de produção e ainda deixou alguns estragos nos sets. E para culminar tudo isto, numa coincidência bizarra, Brad Pitt, que interpreta o herói Aquiles, lesionou-se com gravidade no… tendão de Aquiles. Resultado: a produção parou durante 10 semanas enquanto o ator recuperava. Mau karma!

 

Resident Evil: Capítulo Final (2016)

Cena do filme Resident Evil

Fonte da imagem

 

Fechamos este artigo sobre os filmes mais perigosos com um filme que contou não com um, mas com dois acidentes trágicos. Qualquer filme da série Resident Evil deve ter sido um pesadelo de segurança, mas neste a dupla Olivia Jackson sofreu danos físicos irreparáveis quando foi intercetada por equipamento de filmagem a gravar uma stunt numa mota em andamento. Além de ter partido vértebras, costelas, omoplatas e clavículas, sofreu lesões na cara e nos nervos do braço esquerdo. Como se isto não fosse azar suficiente, passados uns meses um membro da equipa, Richard Cornelius, morreu esmagado num acidente com um Humvee. Ambos os acidentes foram resolvidos extrajudicialmente, em acordos privados, como costuma acontecer quando ocorrem acidentes traumáticos em sets de filmagem.

Leonardo DiCaprio, mais de 25 anos dedicados ao cinema

Fazendo uma conta rápida, perguntas: «Mas como é possível que Leonardo DiCaprio tenha passado mais de metade da sua vida a fazer cinema?». Porque de pequenino se torce o pepino.

20/7/2018 LER MAIS

Um filme por favor

Quando temos filhos um filme é um luxo. Passa por nós uma vez e não mais. Mas traz-nos a mesma sensação de sempre. De sermos personagens numa história inventada.

20/7/2018 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *