Em Destaque

Cinema pelo Mundo: as melhores comédias dos cinco continentes

11 Fevereiro 2019

Como deves estar a precisar de expandir os teus horizontes cinéfilos, decidimos fazer uma pequena viagem do cinema pelo mundo, a começar pela comédia, porque a rir é que a gente se entende. Antes que nos digas que não percebemos nada de geografia, avisamos-te já que decidimos dividir o continente americano em Norte e Sul – um filme de bónus, portanto.

Já viste cinema do Buruti? Já viste cinema da Coreia do Sul? Não? E da Polinésia Francesa? Bom, é desta que vais ficar com a pulga atrás da orelha.

 

América do Norte – Vigaristas de Bairro (2000)

Cena do filme Vigaristas de Bairro

Fonte da imagem

Sim, vamos começar com a América do Norte, com um dos mestres da comédia e um dos seus filmes mais icónicos – Woody Allen. Quando um bando de vigaristas de bairro decidem assaltar um banco, criam o plano perfeito – comprar a loja ao lado, criar um negócio falso e montar uma operação de escavação na cave, criando um túnel até ao cofre forte. O que é que não esperavam? Que o negócio de biscoitos se tornasse tão famoso e acabasse por torná-los… ricos. Empurrados para as luzes da alta sociedade, vão ter de se esforçar muito para esconder as suas origens.

 

América do Sul – Relatos Selvagens (2014)

Cena do filme Relatos Selvagens

Fonte da imagem

Neste nosso périplo de cinema pelo mundo, tínhamos de incluir Relatos Selvagens, uma produção argentina realizada por Damián Szifron e produzida por Pedro Almodóvar e uma das melhores comédias dos últimos anos. Uma espécie de antologia da loucura e da violência, este filme está divido em seis histórias, cada uma mais longa que a anterior. Todas elas vêm as suas personagens a serem testadas no limite da sua paciência e a serem levadas a situações de extremos, onde vão, desculpem-nos o português, passar-se completamente. Entre um casal que vê a noite do seu casamento a escalar por causa do ciúme, um homem a quem uma multa de estacionamento leva a uma violência hilariante e um despique entre dois condutores numa estrada deserta, Relatos Selvagens vai relembrar-te que não passamos de macacos barbeados.

 

África – Os Deuses Devem Estar Loucos (1980)

Cena do filme Os Deuses Devem Estar Loucos

Fonte da imagem

Atravessamos o Oceano Pacífico e vamos até África, representada pela África do Sul em Os Deus Devem Estar Loucos, um dos filmes mais divertidos do cinema pelo mundo. N!xau, é um Khoisan (grupo étnico do sudeste africano) que nunca teve contato com a civilização ocidental. Quando encontra uma garrafa de Coca-Cola, fica admiradíssimo com este presente dos deuses e leva-a para a sua tribo, que a utiliza para todo o tipo de fins. Mas, há só um frasco para uma tribo inteira, e de repente começam a surgir conflitos. Convencidos de que afinal a garrafa traz má sorte, decidem que devem levá-la até ao fim da terra, tarefa que N!xau leva a cabo, numa aventura que o vai pôr em contacto com o mundo fora da tribo. Um filme incrível, que nos mostra a nossa cultura através dos olhos de um bosquímano e nos prova que, se calhar, somos mesmo um pouquinho ridículos.

 

Oceânia – O Crocodilo Dundee (1986)

Cena do filme O Crocodilo Dundee

Fonte da imagem

O Crocodilo Dundee foi o filme pensado para pôr a Austrália no mapa da produção cinematográfica, com um orçamento mínimo de 10 milhões de dólares. Para surpresa de todos, acabou por tornar-se um fenómeno mundial. Michael “Crocodile” Dundee é um caçador de crocodilos no interior australiano, que se vê convidado a ir visitar Nova Iorque por uma jornalista que salva de um ataque feroz. Nunca tendo estado numa grande cidade, pensamos que consegues imaginar a quantidade de aventuras que este gentil, mas rude, caçador de grandes répteis vai ter, todas com resultados muito cómicos.

 

Europa – Bean: Um Autêntico Desastre (1997)

Cena do filme Bean

Fonte da imagem

E, claro, chegados à Europa, tínhamos mesmo de ir com o Mr. Bean para a América. Desta vez, vemos Bean no papel de um guarda de museu muito desastrado, que os administradores do museu estão a tentar desesperadamente despedir. Assim, executam um plano brilhante: pedir a Bean que represente o museu num evento importante em Los Angeles. O brincalhão Mr. Bean aceita com todo o entusiasmo, começando a ter problemas logo no voo de ida. Um clássico dos anos 90, este é aquele filme que ainda hoje nos conforta nas tarde intermináveis de domingo e nos faz pensar que, se calhar, ser guarda de museu deve ser bem mais divertido do que parece.

 

Ásia – My Sassy Girl (2001)

Cena do filme My Sassy Girl

Fonte da imagem

E da Coreia do Sul recomendamos-te que te deixes render à história mirabolante de My Sassy Girl. Quando um jovem universitário salva uma rapariga bêbeda de ser atropelada pelo metro, vê a sua vida a ser lentamente ocupada por ela e pela sua loucura. A Rapariga (nunca sabemos o seu nome), vai fazer a vida do rapaz num inferno, ao mesmo tempo que estabelece com ele uma relação de amor que o vai deixar marcado para sempre. Este filme é talvez uma das maiores comédias de culto vindas da Ásia, e até teve direito a um remake americano em 2008, chamado A Minha Namorada é Louca.

As cinco curtas-metragens que vão melhorar o teu dia

Por vezes, queremos mesmo ter aquela dose de cinema, mas não temos uma hora e meia para dispensar, não é? Bom, foi para isso que se inventaram as curtas.

11/2/2019 LER MAIS

De papéis recusados e atores arrependidos está Hollywood cheia

Hollywood é a terra dos sonhos, mas é também a terra dos atores e atrizes que ainda hoje não dormem por causa de papéis recusados, aqueles podia-ter-sido que lhes assombram a carreira.

11/2/2019 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *