Atualidade

Lady Gaga: desde a estreia com Fame à noite dos OSCARS™

25 Março 2019

Pode não parecer, mas Lady Gaga, nascida Stefani Joanne Angelina Germanotta, está nas nossas vidas há dez anos. Desde o seu início como enfant terrible da música pop, que nos pôs a trautear “Bad Romance” durante dias e dias, até agora, vencedora de um OSCAR™ para Melhor Música, muito se passou. Relembra o trajeto colossal de Lady Gaga.

Momma Monster, como é também conhecida entre os fãs, não foi sempre a artista excêntrica e rebelde que este ano mostrou uma nova faceta ao interpretar Ally, uma jovem cantora. Antes de ser Lady Gaga, Stefani era uma miúda normal, que andou numa escola católica e começou a tocar piano porque a mãe queria que se tornasse “uma senhora”.

Daí até mostrar o talento natural que tinha para a música foi um saltinho e o interesse nas artes nunca mais a deixou. Além de ter estudado música, estudou também atuação no Lee Strasberg Institute, que tem alunos tão famosos quanto Barbra Streisand (que faz de Ally na terceira versão de A Star Is Born), Scarlett Johansson e Marilyn Monroe.

Lady Gaga fez tudo para que a sua música fosse ouvida, desde andar de teclado debaixo do braço de bar em bar, até dar concertos em bares drag (pormenor que Bradley Cooper incorporou na história da sua personagem). Finalmente, foi contratada por uma editora, onde começou por escrever letras de canções para estrelas da pop como Britney Spears, The Pussycat Dolls e Fergie. Numa das sessões de pitching, alguém percebeu que a miúda sabia cantar e deu um empurrãozinho para que a editora apostasse nela.

Em 2008 lançou o seu primeiro álbum enquanto Lady Gaga, The Fame, onde músicas como “Just Dance” e “Poker Face” a tornaram numa estrela do dia para a noite. A partir daí, nunca mais deixou os palcos e os tops, tendo feito um caminho na pop como ninguém fazia desde Madonna. Lady Gaga provou ser uma força da natureza, desde a música à persona que criou desde o primeiro momento.

Neste processo, a sua dedicação total à música (aquilo em que diz ser mesmo boa) fez com que o talento para atuar fosse um pouco esquecido, mas quando Robert Rodriguez fez os filmes Machete Mata (2013) e Sin City: Mulher Fatal (2014), reconheceu na cantora aquele star power que podia dar algum gosto às cenas onde aparecesse. Durante mais uns anos Gaga continuou a dedicar-se à música, mas em 2015 os criadores de American Horror Story deram-lhe o papel de A Condessa, a dona de um hotel assombrado.

Mas ninguém estava preparado para a personagem de Ally. Um remake do clássico Nasceu Uma Estrela (1937), este filme mostra a forma como as vidas de uma jovem aspirante a cantora e de um cantor de country caído em desgraça vão mudar quando se conhecem. Por este papel incrível, em que se inspirou em momentos da sua história pessoal, Gaga foi nomeada para Melhor Atriz Principal. Acabou por não ganhar, mas a performance da música do filme “Shallow”, que cantou com Bradley Cooper na cerimónia, não deixou ninguém indiferente.

Com uma história incrível de perseverança e de dedicação, não admira que Lady Gaga tenha chegado tão longe. Por enquanto, não parece estar a trabalhar em mais projetos no cinema, mas há sempre esperança. Até 2020 vai estar em residência no Park MGM em Las Vegas, com dois espetáculos incríveis. Já sabes, se sempre quiseste atravessar o Atlântico e ir até aos “States”, podes sempre parar no Nevada para uma dose saudável de Gaga.

 

  • Machete Mata / 30 sábado, 00:15

Aquilo que ainda não sabias sobre estas Estrelas de setembro

Este mês revelamos alguns segredos das nossas Estrelas de Setembro. Desde os Backstreet Boys à Disney, estes aniversariantes têm muito que contar.

25/3/2019 LER MAIS

Junta o pessoal no sofá e não percam estes Amigos Improváveis

Pega no teu pessoal, senta-os no sofá, passa-lhes um balde de pipocas para as mãos e deliciem-se com Amigos Improváveis, a história de uma grande amizade.

25/3/2019 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *