Atualidade

5 filmes do Festival de Toronto 2019 que prometem arrebatar a cerimónia dos OSCARS™

19 Setembro 2019

O prestigiado Festival de Toronto, que permanece até hoje um dos mais importantes do cenário cinematográfico, acontece a cada ano nesta cidade do Canadá, e teve a sua primeira edição em 1976. Trazemos-te alguns dos filmes que por lá mais têm dado que falar e que irás com certeza ver na lista de candidatos à cerimónia dos OSCARS™, em fevereiro do próximo ano.

Bem vistas as coisas, já não falta assim tanto tempo e o melhor mesmo é ficares já a par destes filmes que prometem… e cumprem.

 

Joker (2019)

Quando pensas no Joker, pensas em quem? Jack Nicholson, Heath Ledger, Jared Leto ou ainda em Cameron Monaghan ou Mark Hamill? Vários são os atores que deram vida a este misterioso e sádico vilão do Batman… mas há mais um que está prestes a juntar-se ao grupo.

E é já no próximo mês que o thriller «halloweenesco» Joker, de Todd Phillips, que arrebatou o Festival de Toronto, chega às salas de cinema, com Joaquin Phoenix no papel principal e com um enredo que irá relatar a nunca contada história de um dos mais famosos vilões da banda desenhada. Se nunca achaste que este ator conhecido por personagens solitários e assassinos interpretaria o papel de Joker num blockbuster, pensa de novo. Idealiza este filme mais como uma biopic fictícia, em que Phoenix é capaz de fazer aquilo que melhor sabe – mergulhar nas profundezas da experiência humana, estudar uma personagem a fundo e trazê-la para o silver screen com uma interpretação que, só pelo trailer, nos deixa de água na boca.

 

A Beautiful Day in the Neighborhood (2019)

Se é verdade que temos assistido a um boom de biopics nas prateleiras das livrarias e nas telas do cinema, não menos verdade é que o género está longe de gasto e continua a despertar o nosso interesse e a agradar a massas de espetadores um pouco por todo o mundo. Um perfeito exemplo disso mesmo é A Beautiful Day in the Neighborhood, a história de uma personagem carismática e muito querida do público, Fred Rogers. Rogers foi o apresentador e a cara de um programa infantil americano que permaneceu no ar desde 1968 a 2001. O papel foi entregue ao não menos acarinhado ator Tom Hanks, com provas mais que dadas da sua capacidade de metamorfose e de entrega.

A narrativa, em que a música tem um papel de destaque (Rogers era também autor e intérprete de canções), guia-nos pela história de amizade que nasceu entre Fred Rogers e o cético jornalista Tom Junod (Matthew Rhys). Temos todos a aprender com este exemplo e nunca é demais passar uma mensagem de bondade, empatia e de esperança de que estas sejam capazes de triunfar sobre o cinismo que hoje teima em pairar pelo mundo.

 

Jojo Rabbit (2019)

As saudades que já tínhamos de uma boa sátira, e esta mais que justifica a atenção de que tem sido alvo, nomeadamente durante o Festival de Toronto. Jojo Rabbit leva-nos à Alemanha, em plena Segunda Guerra Mundial, onde ficamos a conhecer o próprio Jojo, interpretado pelo jovem Roman Griffin Davis, a assinalar a sua estreia no cinema – com o pé direito, acrescentamos nós.

A imaginação fértil desta criança, que cresceu com o conceito de nacionalismo enraizado em todos os aspetos da sua educação, faz com o seu amigo imaginário seja, nem mais nem menos, Adolf Hitler (interpretado por Taika Waititi que se divide entre o papel e a realização do filme). O mundo de Jojo e tudo aquilo em que acredita é abalado quando descobre que a sua própria mãe, Rosie Betzler (Scarlett Johansson), esconde uma jovem rapariga judia no sótão de sua casa.

A complexidade das ligações humanas é explorada de forma sublime neste filme, intercalada com momentos de humor, por vezes negro, na medida certa.

 

Dor e Glória (2019)

O mais recente filme de Pedro Almodóvar, escrito e realizado pelo próprio, está, como aliás não é novidade, a cair nas boas graças do público e da crítica, e o Festival de Toronto não lhe ficou indiferente.

O cineasta espanhol contemporâneo com maior dimensão e expressão além-fronteiras – debatendo o lugar no pódio da História com Buñuel – volta a trabalhar com Penélope Cruz, a quem se recusa chamar musa, mas em quem confessa pensar quando começa a dar corpo às personagens que cria. Outra cara recorrente do seu histórico de filmagens é Antonio Banderas (a sua oitava colaboração), que protagoniza este drama, e cuja interpretação já lhe mereceu o prémio de Melhor Ator no Festival de Cannes. Banderas é Salvador Mallo, um realizador de cinema (sim, há algo de alter ego de Almodóvar neste filme) que vive os últimos dias da sua carreira, agora em declínio, e vai sendo transportado para momentos queridos e intensos do seu passado.

Em Dor e Glória o enredo é tão envolvente quanto a atenção ao pormenor espelhada em cada frame, o que culmina no nascimento de uma obra que consolida a marca incontornável de Almodóvar no cinema.

 

O Relatório (2019)

Baseado em factos reais, O Relatório (2019) fala-nos da investigação levada a cabo pela CIA após os atentados de 11 de setembro terem incutido um sentimento de medo e impotência na população americana e, atrevemo-nos a dizer, no mundo.

Através dos olhos de Daniel J. Jones, um membro do senado encarregue de liderar esta investigação – irrepreensivelmente interpretado por Adam Driver –, vamos ficando a par das condições desumanas de detenção, em que técnicas de interrogação brutais são, alegadamente, utilizadas nos prisioneiros.

O elenco do thriller conta ainda com as contribuições de Annette Bening, Michael C. Hall e John Ham, entre outros atores de peso, que o fizeram brilhar neste Festival de Toronto.

Inspira-te nas melhores cenas de festa do cinema para este Ano Novo

Até tu já estás a fazer contas de cabeça para perceber a quantas festas de Ano Novo consegues ir na mesma noite.

19/9/2019 LER MAIS

Já viste quantos destes filmes gravados em Portugal?

A quantidade de filmes gravados em Portugal vai convencer-te de que não, a nossa popularidade enquanto país não é de agora. Podes parar de rabujar com os turistas – Portugal é lindo e por isso compreendemos perfeitamente porque é que toda a gente quer vir cá molhar os pés.

19/9/2019 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *