Estreias

A Gaiola Dourada: o filme que todos os portugueses têm de ver (e rever)

18 Agosto 2017

Cena do filme A Gaiola Dourada

A Gaiola Dourada foi a comédia sucesso de 2013, que comoveu o público, dentro e fora de fronteiras, ao apresentar com humor o imaginário do emigrante português em França. 

Maria e José Ribeiro (Rita Blanco e Joaquim de Almeida) estão emigrados há mais de três décadas. Ela é porteira num prédio chique parisiense, ele trabalha na construção civil. Juntos partilham o desejo de um dia deixarem para trás a casa da porteira no rés-de-chão e de regressarem a Portugal.

Ao receberem a notícia de que são herdeiros de uma gorda fortuna, têm finalmente os meios para concretizar o velho sonho de voltar a casa. Mas a família e os patrões não estão interessados em deixar partir o tão amável casal, e assim começam a organizar esquemas para os fazerem mudar de ideais. Mas será que irão ser bem-sucedidos?

O filme A Gaiola Dourada, realizado e escrito por Ruben Alves, um lusodescendente francês, recorre ao molde das comédias francesas comerciais para criar uma história baseada na sua experiência pessoal.  

Cena do filme A Gaiola Dourada

O argumento usa em grande parte os estereótipos do português emigrante (o futebol, o bacalhau, a decoração kitsch, estão todos lá), sem que as personagens nunca deixem de ser tratadas com dignidade ou autenticidade.

O maior desafio do filme é exatamente o de alcançar um equilíbrio entre a sátira e o respeito. Um feito que foi atingido com sucesso e que atesta a sensibilidade do autor. Parece que esta é também a beleza dos lugares-comuns: estarem sempre de alguma forma ancorados na verdade. E a boa comédia apresentada no filme serve-se positivamente disso.

A Gaiola Dourada é uma homenagem à grande bandeira dos portugueses, os seus valores– humildade, dignidade, esforço e discrição– representados no filme pelo casal Ribeiro. Mas a pertinência de A Gaiola Dourada não se perde aqui, uma vez que o fenómeno da emigração, agravado pela crise económica, é ainda uma parte integrante da nossa atualidade.

Cena do filme A Gaiola Dourada

A identidade dos portugueses que estão lá fora tem finalmente um retrato mais profundo do que a famosa canção de Linda de Suza, “Mala de cartão”. O sucesso de A Gaiola Dourada conseguiu mostrar que os portugueses sabem rir-se de si próprios e que sentem orgulho das suas tradições e costumes.

 

 

  • A Gaiola Dourada / domingo 27, 22:00

Arrepia-te com estes possíveis crimes de Hollywood

Destes quatro acontecimentos, só um está mesmo confirmado, mas os outros três ainda hoje movem pessoas que tentam provar que não há fumo sem fogo e que por vezes as coisas não têm nada de inocente.

18/8/2017 LER MAIS

Abdicaria da vida eterna por amor?

E, depois, há aquele filme especial, o "filme da minha vida", ao qual regresso sempre... mesmo sem ser preciso vê-lo vezes sem conta. Esse filme é "A Cidade dos Anjos".

18/8/2017 LER MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *